Trás-os-Montes – vinhos cheios de personalidade, aroma e sabores

Trás-os-Montes produz vinhos com personalidade, aroma e sabores inconfundíveis

Trás-os-Montes – região ao Norte do rio Douro, em Portugal, cravada entre montes e vales que proporcionam uma fotografia de tirar o fôlego. A região é dona de características especiais, que a diferencia das demais.

Se você nunca ouviu falar desta região de Portugal ou nunca experimentou um vinho produzido nos vinhedos que remontam à ocupação romana na região, prepare-se. Vai se surpreender com a explosão de aroma e sabores que irá encontrar nas garrafas grafadas com a Denominação de Origem Controlada (DOC) Trás-os-Montes.

Uma das principais características da região de Trás-os-Montes é que o cenário muda rapidamente. Alterna com rapidez entre vales verdejantes, colinas antigas cobertas por uma colcha de retalhos de bosques, olivais verde-cinza, extensas vinhas, amendoeiras floridas além de outras árvores de fruto.

O solo é normalmente é granítico com manchas de xisto. Já o clima, apesar de um modo geral ser seco e muito quente no verão e apresentar temperaturas negativas no inverno, apresenta variações de uma área para outra, fatores que permitem obter vinhos muito diferenciados. Justamente por isso, no que diz respeito à produção de vinhos, Trás-os-Montes é dividida em três sub-regiões: Chaves, Valpaços e Planalto Mirandês.

O que esperar dos vinhos de Trás-os-Montes

Quando o assunto é a produção de vinhos, a região de Trás-os-Montes apresenta algumas características comuns a todos os seus vinhos.

Os vinhos brancos apresentam uma grande intensidade de aromas frutados e leves florais. Na boca costumam revelar uma acidez equilibrada e apresentarem bastante volume. Já os tintos, são vinhos de cor intensa, consistentes e extremamente estruturados na boca. São muito aromáticos e apesar de geralmente terem teores alcóolicos para cima dos 14%, são normalmente equilibrados, frutados e donos de uma acidez muito equilibrada.

Em relação aos tipos de uva mais comuns na região, entre as tintas, as principais são a Touriga Nacional, Bastardo, Marufo, Tinta Roriz, Touriga Franca e Trincadeira. Já em relação às brancas, as castas de maior expressão são a Côdega do Larinho, Fernão Pires, Gouveio, Malvasia Fina, Rabigato, Síria e Viosinho.

A existência de vinhas muito antigas com castas centenárias também é outra característica marcante dos vinhos desta região, o que garante qualidade e exclusividade.

A origem do cultivo do vinho em Trás-os-Montes

O cultivo de vinha e a produção de vinho na Região de Trás-os-Montes tem origem secular. É comum na região – algumas vinícolas ainda preservam estas estruturas, caso por exemplo, da Quinta do Sobreiró de Cima – encontrar lagares cavados na rocha. Estes lagares tem origem romana e pré-romana, e eram usados para a produção de vinhos pelos romanos, quando ocuparam a região.

Atualmente, praticamente, estes lagares já não usados no processo de produção do vinho, mas são uma atração à parte. Pois além conhecer o cenário deslumbrante da região, o rico folclore, a saborosa culinária transmontana, as inúmeras construções históricas, os lagares romanos talhados em pedra contam muito a história de formação da região.

Uma viagem pela região de Trás-os-Montes será sempre a receita ideal para agradar e encantar, os olhos, os sentidos, a barriga e, tudo isso, regado sempre a vinhos de primeiríssima qualidade.

O que está esperando? Abra logo uma garrafa transmontana e comece a descobrir esta região encantadora.

Experimenta agora as nossas opções de Trás-os-Montes disponíveis.

Gostou desse artigo? Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
witter
Share on linkedin
Linkdin
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

Fechar Menu
×

Carrinho

Open chat
Powered by